15 dezembro 2012

A mitologia fake de Hórus

Nihao! Nesse mês de dezembro irei trolar, de maneira culta, um boato que circula na internet sobre o deus Hórus, dizendo que Jesus é uma cópia deste. Aliás, quando vejo a imagem abaixo, comparando indiretamente Hórus e Jesus, como se o segundo fosse cópia do primeiro, começa a me dar coisas.



Antes agradeço gentilmente a ATEA pela piada pronta. Para uma associação que se diz séria, está parecendo um circo dos horrores, digna de piada, como algumas "igrejas".


Vou ser sincera com vocês, eu leio sobre mitologia grega e egípcia desde que me conheço por gente (tanto que minha vizinha pedagoga ficava impressionada com uma criança de 5 anos preferindo ler a guerra entre Hórus e seu tio Seth do que um gibi da Mônica) e ver esse tipo de coisa agride a minha inteligência.


Mas quando acho que a coisa tá ruim, eis que me aparece uma imagem ainda pior:




E eis minha expressão quando vi pela primeira vez essa imagem:




Olha, eu até que entendo muitos repetem isso por ignorância (afinal nem todos curtem ler sobre a antiga religião egípcia e só sabem que Atena é a deusa da guerra e da sabedoria por causa de Cavaleiros do Zodíaco, no caso da grega), assim como outros fazem para trolar (de maneira fail) cristãos. Mas acho interessante que, principalmente os que postam para trolar, são em parte pessoas que adoram pregar o pensamento crítico, a ciência, quando eles mesmo, NÃO VERIFICAM A VERACIDADE e terminam sendo mais crédulos do que aquele crente que adoram zoar. Então irei começar a refutar, com um sorriso enorme de troll no rosto, as alegações de ambas as imagens dignas de um prêmio "Nobel de Falácias":


"Ele nasceu da virgem dia 25 de dezembro (...)"; "Hórus foi gerado pela Virgem Ísis Meri"; "Hórus nasceu de um milagre"

Não, ele não nasceu. Aliás, nem Jesus nasceu nesse dia. A data 25 de dezembro é apenas uma data simbólica, escolhida para tentar abafar algumas festividades pagãs que aconteciam na época do Império Romano. Não há nada na Bíblia que afirme que Jesus nasceu no dia 25 de dezembro. E no caso de Hórus, encontrei pistas que indicam que ele nasceu no dia 5 do "Dia Epagomenal" que ocorre em agosto, pelo calendário moderno. Outras fontes relatam que o dia 25 de dezembro é apenas UMA das possíveis datas do nascimento dele. Algumas fontes online, revelam que foi no mês egípcio de Khoiak, que no nosso calendário corresponde a novembro. 

No que se refere a ter nascido de uma virgem, isso é uma falácia tão grande quanto eu afirmar que sou filipina. A concepção de Hórus aconteceu após Osíris ter sido morto, esquartejado e revivido, por pouco tempo, com ajuda de Ísis. Em algumas versões do mito, Ísis não encontra o órgão sexual do marido e fabrica um, para assim manter relações sexuais com ele. Podemos considerar a concepção de Hórus como milagrosa, mas afirmar que ele veio de uma virgem, por favor. Qualquer um sabe que a partir do momento que alguém faz sexo da "maneira convencional" (se é que me entendem), a mulher perde a virgindade.

E antes de falarem algo, quero deixar claro que o nome da mãe de Hórus é apenas Ísis e não Ísis-Meri ou Meri como já vi alguns dizendo. Até onde pude saber, meri pode ser uma corruptela da palavra egípcia mr-ee, que significa amada. Meri pode ter sido um título dado a Ísis e não parte do nome dela (algo como São Paulo - são, título; Paulo, nome). E outra coisa que irei desmentir, é que dizem por aí que o nome do pai de Hórus é um tal de Seb, que alguns fazem relação com o nome José. Seb não existe na história de Hórus e, como foi dito anteriormente, seu pai é Osíris.


"Foi batizado, foi considerado uma criança prodígio, teve 12 discípulos e viajou com eles realizando milagres (...)"; "Hórus foi procedido por uma estrela"; "Hórus foi adorado por três reis"; "Hórus foi batizado por Anup"

Em nenhuma fonte séria afirma que Hórus foi batizado, ainda mais por um tal de Anup que nem existe nos mitos. Assim como não há menção de estrelas e nem de reis. Quanto a ser adorado, meus queridos, Hórus é um deus, então desde o seu nascimento ele foi adorado. E no que se refere a seguidores e discípulos, até onde pesquisei, Hórus teve 4 e não 12 discípulos, que eram chamados de Heru-Shemsu. E no que se refere a seguidores, há referencias para 16 seguidores e mais um grupo chamado mesnui (ferreiros) que se juntaram a Hórus em batalha, mas não há números exatos de quantos foram. E quanto aos milagres, mais uma vez, Hórus é um deus, você queria que o cara fizesse o que? Comesse churrasco o dia inteiro e vivesse a vida dele como um reles mortal? Se toca. Ah, e antes que comentem, ele não ensinou em templo nenhum (isso é citado quando falam que ele foi uma criança prodígio).

"Ele era o caminho, a verdade e a vida. Andou sobre as águas, ressuscitou um homem, foi traído, foi invejado e considerado 'o rei'. " (...); Hórus ressuscitou um homem chamado El-Azar-Us; Hórus foi considerado um rei para os egípcios; 

Em nenhum trecho dos mitos egípcios Hórus afirma que ele era o caminho, a verdade e a vida. Ele não andou sobre as águas e muito menos ressuscitou um tal de El-Azar-Us (uma tentativa super forçada para fazer relação com Lázaro). De fato, Hórus foi considerado rei, até porque ele herdou o trono de seu pai Osíris. Enquanto Osíris ficou sendo o rei do Mundo dos Mortos quando morreu, Hórus, após derrotar seu tio Seth, ficou sendo o rei dos mundo dos vivos, posto que era de seu pai. Ou seja, junto com a concepção milagrosa, eis a única coisa que bate com a história de Hórus.


"Foi condenado à morte e crucificado, foi enterrado e ressuscitou 3 dias depois; Horus foi traído por Tifão; Horus morreu crucificado e foi sepultado; Horus ressuscitou três dias depois de sua morte; Horus ascendeu para o reino dos céus."

Hórus não foi condenado a morte e muito menos crucificado. Aliás a crucificação é um tipo de punição "recente" (se comparada com a idade dos mitos egípcios). E consequentemente, não foi enterrado e nem ressuscitou após três dias e muito menos foi para o reino dos céus. 

Para fim de esclarecimentos, só encontrei uma fonte que afirmava que Hórus morreu, mas foi por causa de um escorpião e, devido a prece feita por Ísis a Tot, a criança ressuscitou (e isso NÃO aconteceu três dias depois).

No que se refere a Tifão, até onde pude pesquisar, ele só aparece nos mitos egípcios que sofreram sincretização com os mitos greco-romanos, já que Tifão é originário da mitologia grega. Ou seja, esqueçam essa história. 

Como vocês acabaram de ver, excetuando por uma coisa ou outra que se conta nos dedos de apenas uma mão, tudo o que andam dizendo por aí é pura e simples MENTIRA. E como já falei, o mais cômico é que isso sai da boca de pessoas que adoram se gabar de pensamento crítico, pesquisa, procura do saber, entre outros.


E para terminar, posto aqui fragmentos de um texto que já vi um neo-ateus afirmando que seriam "provas" para confirmar a tese de que Jesus é uma cópia descarada de Hórus. O engraçado é que o texto inteiro, mesmo apontando algumas similaridades, desmente na cara dura toda essa mitologia fake:




"A comparação da história de Jesus narrada nos evangelhos com a história de Osíris-Hórus destacada na religião do Egito, permite concluir o seguinte: as tentativas de atribuir ao relato neotestamentário a condição de transposição literária do antigo mito egípcio simplesmente não se sustentam.

Em primeiro lugar, o mito egípcio tal como era conhecido na época do Antigo Império não se deixa recompor senão de modo muito fragmentário e cheio de lacunas. Diferentes tradições do mito desenvolveram-se paralelamente e sabe-se que, ao longo dos séculos, o mito sofreu alterações que muito provavelmente devem ter contribuído para descaracterizar sensivelmente a história original. O único relato contendo uma sistematização do mito provindo da antigüidade é uma obra tardia do primeiro século
d.C.  
Em segundo lugar, muitos dos argumentos utilizados pelos advogadores da idéia do “Jesus Mítico” concentram-se em aspectos de uma fase da religião cristã em que os princípios bíblicos sofreram um processo de mescla com elementos da cultura religiosa do Império Romano, à qual, por sua vez, já se haviam amalgamado diversos aspectos cultuais de outras nações, inclusive a egípcia. Nesse caso, a presença de certos detalhes da religião egípcia misturadas ao culto cristão após o quarto século não servem de argumento válido contra a veracidade histórica da narrativa da vida de Jesus segundo
aparece nos evangelhos. 
Finalmente, a análise das comparações específicas dos eventos narrados no Novo Testamento com o mito egípcio de Osíris-Hórus revela muita especulação e conclusões mal fundamentadas por parte dos defensores da tese do “Jesus mítico”. Gerald Massey, que, mais de um século após a sua morte, continua sendo o grande expoente desse grupo, traçou paralelos tão forçados, que chegam a ser absurdos. Quando algumas das semelhanças por ele apontadas realmente procedem em relação a um evento ou doutrina, tem-se, ao mesmo tempo, diversos outros aspectos tão completamente diferentes, que relegam aquelas similaridades ao terreno das coincidências. Além disso, dentro da bibliografia pesquisada para este artigo, uma leitura das obras que apresentam o Jesus divino do cristianismo como derivando do mito osiriano (desde Massey no século 19, até, por exemplo, Tom Harpur, que ainda vive nos dias atuais), revela uma característica marcante em todas elas: a quase total ausência de referências às fontes documentais originais. 
Sendo assim, o presente estudo permite concluir que a veracidade histórica dos eventos narrados nos quatro evangelhos do Novo Testamento acerca da vida de Jesus Cristo, adorado como Deus pelos cristãos durante os últimos 2 mil anos de história, não pode ser contraditada com base na comparação entre esses eventos e a mitologia egípcia."

O que aprendemos com isso tudo meus amores? Que antes de sair falando besteira, investiguem, estudem, senão, faram papel de idiotas revoltadinhos. Não é porque uma afirmação parece bonita aos seus olhos que ela é verdadeira. 

E antes que alguém aqui faça um comentário maldoso, não vejo problemas em se fazer um estudo comparativo entre religiões. Porém sou contra usar falácias para manter o seu argumento. Por exemplo, os astecas acreditavam em um dilúvio universal, assim como outros povos, como os judeus. Mas é errado eu dizer que assim como os judeus, os astecas acreditavam que um homem com a sua família e alguns animais foram poupados.


Ah, e também não tenho nada contra em você ser ateu. Mas sou contra aqueles que para sustentar alguns pontos de vista, partem para cima se utilizando de falácias. Sou contra também, por causa do ódio cego que neo-ateus possuem contra religiões, distorcerem a verdade conforme o seu ponto de vista, como fanáticos religiosos fazem. 


Para quem quiser pesquisar sobre o assunto, ao contrário de certas pessoas e associações, eis as fontes que utilizei para escrever esse post.


Referências bibliográficas:





E antes de ir embora, só um recado: Se alguém no meu feed de notícias do Facebook, ficar postando imagenzinhas de Hórus = Jesus ou de parabéns Hórus, vai ser trollado até dizer chega. Até o Batman está de saco cheio disso:



Hoje em dia qualquer um pode fazer até um download de um livro decente ou pesquisar em um site sério sobre o assunto, em vez de ficar repetindo um bando de asneira pior que papagaio.

Então gostaram do artigo? Pretendo fazer outros futuramente. Qualquer coisa, podem comentar! Kisses meus amores e até a próxima!!!

5 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns, gostei muito dessa postagem esclarecedora! Bom trabalho! =)

Scariel disse...

Bia Chun-Li ensinando sobre mitologia e história? Claro que eu gostei xD

Eu também concordo com esse lance da ATEA, tá enchendo o saco no facebook já.

Bia Chun-li disse...

fazer o quê, meu senso de historiadora falou mais alto!!!^^

Gustavo disse...

ééé sou do blog tudo de jogos su parceiro mais kd seu banner pra mim adiciona no meu blog ?

Gustavo disse...

No sou muito burro kkkkkkkkkk vi seu banner cria um 120x60 ou 180x40 pra mim colocar no meu blog por favor ?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários