17 novembro 2013

Os manhuas de SF (Ou como a Capcom é meio dorgada) – Parte 3: Street Fighter’92 – Street of Terminator; o manhua sincero

Nihao pessoas!! Estavam com saudades minhas? Desculpem minha ausência, minha vida pessoal anda um tanto atarefada. Lembrem-se, além de ser blogueira, sou uma mamãe de família e uma cidadã respeitável que trabalha!!! xD

Well, e como ando sem tempo, no momento, resolvi reciclar uma postagem minha feita no blog do Fighters, a respeito de um dos manhuas de SF. mas esse, diferente dos outros que relatei, ao menos é sincero em sua empreitada. Ou seja, o leitor sabe que ali tem coisa. Só para constar, eu conheci o manhua através do extinto Keiko Ganbare. 

Street Fighter’92 – Street of Terminator é um manhua que foi publicado lá pela década de 1990 (provavelmente em 1992, devido ao título) e, ao contrário dos outros manhuas da série Street Fighter, onde a Capcom autorizou eles fazerem as histórias, nesse ela apenas cedeu os personagens aos criadores (informação retirada do Keiko Ganbare – eu não tenho certeza disso, carece de confirmações e ao ler todo o artigo saberá o porquê das minhas suspeitas).

“Como assim tia Bia??????????? O.o Num entendi porcaria nenhuma!!!!!” Eu explico pequeno gafanhoto. Vamos para um exemplo prático:

Eu resolvo criar um mundo de fantasia medieval, mas eu gostaria de usar personagens conhecidos do grande público. Então bato um lero com a Capcom, para ver se ela me empresta os personagens da franquia Darkstalkers e Nash e Cammy de Street Fighter, óbvio que pagando o que eles pedirem pelos personagens. Então nessa minha historinha, Cammy e Nash são dois militares, pilotos de uma nave espacial que caiu em um buraco negro, parando numa realidade de fantasia medieval. Eles encontram a jovem mestiça Felícia, filha de um homem-gato com sua esposa humana, que resolve ajudá-los nessa empreitada. E aos poucos, vão aparecendo outros Darkstalkers, mas com um contexto, motivações e etc, COMPLETAMENTE DIFERENTES DOS DO GAME. Só que, ao contrário do que acontecem com algumas adaptações de cinema, em nenhum momento eu digo que essa história que acabei de falar é uma adaptação dos games para os quadrinhos, e sim algo original. Esse samba do crioulo doido que é Street Fighter’92 – Street of Terminator.




Em SF’92, nós vemos, Guile, Ken, Ryu e Chun-Li(que parecem ser os chars principais da história), em um mundo futurista, sem nenhuma ligação com a série principal. Dentre os personagens citados, o único que lembra realmente a sua contraparte no game, sem ser na aparência, é o Guile, que nessa história parece ser um policial ou um militar. De resto…


Ryu, Ken e Guile aparentemente treinaram juntos, com o mesmo mestre, que na história lembra bastante o personagem Gen. Alguns dos golpes utilizados nos games como o Hadouken, Shoryuken e o Flash Kick, fazem presença neste manhua, assim como alguns personagens, como Zangief, Dhalsim, Blanka e Honda, que fazem uma pequena ponta. E os chefões do game, que estão nessa ilustração abaixo, tem até que bastante participação na história.



Chun-Li é um grande caso a parte… Na ilustração bem acima, vemos como ela aparece nas ilustrações do gibi. Abaixo a capa de sua primeira aparição na historinha:


Sim, essa é a Chun-Li fazendo cosplay de Lynn Minmay de Macross!!!!!!!!!! O.o E assim como a personagem “homenageada”, ela é cantora! E dá a entender que conforme a vai passando a historinha ela e o Ryu começam a flertar…


E falando na Minmay, essa não é a única “homenagem” feita em cima de animes. Ao que parece (não tenho certeza, pois o treco tá tudo em chinês) o local onde Guile trabalha, chama-se A.D. Police, uma referência ao anime Bubblegum Crisis e a sua série spin off, chamada A. D. Police, que é um grupo de elite da polícia que combate o crime na fictícia e futurística cidade Megatokyo.

Em um dado momento do manhua, Guile aparece saindo de um mecha, numa clara “referência” a Ghost in the Shell. Se duvida, compare as imagens.(...)



Outras homenagens ocorre no mangá. Em uma cena, Chun-Li aparece conversando com uma mulher que possui uma tiara na testa. Essa tiara é idêntica à Karla, personagem de Record of Lodoss War. É só fazerem a comparação(...).



Há também outras referências e homenagens, como um certo personagem que expande o seu Ki e fica com o cabelo arrepiado (quem lembrou do Super Sayajin ganhou um doce), as lutas, que algumas vezes são bem “dragonbonicas” e um certo personagem cuja a capa da roupa lembra a de um certo vigilante de Gotan…

“Ok, tia Bia e como é a história da bagaça???” Sinceramente, não faço a mínima ideia, meu querido. Até agora não achei nenhum site que tenha postado algum resumo em inglês. Consigo até mais informações se pesquisar em chinês mas, infelizmente, a maioria dos sites chineses que vi, em vez de possuir informações, tinha a HQ para você visualizar. A única coisa que dá para entender é que a história se passa num possível futuro e que o final dela, ao menos para mim, ficou com um quê de continuação ou algo assim (já que não entendo chinês… ¬¬).

A minha opinião final sobre esse manhua é que, ele é interessante para colecionadores e fãs da franquia Street Fighter que curtem algo diferente e/ou inusitado. A arte é bonita, dá de 10 a 0 no manhua oficial do Street Fighter II. E ao contrário de coisas “maravilhosas” como a A Lenda de Chun-Li, o filme de KOF, o desenho americano de SF e tantos outros “frankesteins”, esse manhua não tinha o propósito de fazer uma adaptação dos games para os quadrinhos e sim algo totalmente novo. Ou seja, não alimentava falsas esperanças dos fãs, já deixava bem claro o que estaria por vir.

Quem quiser dar uma conferida nele, pode dar uma olhada no blog Street Fighter Manhuas, onde pus um link para download do manhua, para vocês se deliciarem ou vomitarem!!! xD


Então, vou ficando por aqui. Não se preocupem, prometo aparecer em dezembro, mesmo que seja para fazer outra postagem dando aula sobre personagens religiosos devido a certas imagens compartilhadas no Facebook. Então, até a próxima pessoal!!!! =P

2 comentários:

Jonathan Ribeiro disse...

E aí,boa tarde seu blog é incrível,eu adorei conhecer esses quadrinhos chineses de Street Fighter e até baixei um do seu outro blog,eu tô criando um fanzine do Street,por isso é sempre bom conhecer mais sobre o assunto.

Bem,eu gostaria que você deixe uma olhadinha no meu blog,desde já agradeço,até.

http://culturajovemdoplaneta.blogspot.com.br/

Lance Sonovavish disse...

Que glorioso essa série *___*

Consiga ela Chun...não desista!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...