30 agosto 2017

30 anos de Street Fighter - Um post sentimental

Hoje, dia 30 de agosto, Street Fighter comemora o seu trigésimo aniversário.



Eu adoraria ter feito o que planejada para comemorar essa data. Mas para não passar e branco, então, ao menos vai um pouco da minha história com o jogo.



Eu comecei a jogar Street Fighter no bar que a minha mãe tem, quando criança. Eu já tinha contato com jogos de videogame, graças ao meu primo, mas ali foi a primeira vez, que eu me lembre, que vi um jogo de luta. Mas assumo, aprendi a jogar primeiro, Mortal Kombat! xD Era o horrível do horrível em Street Fighter, enquanto que em MK eu ia bem. 

Nessa época, depois de fazer as minhas tarefas, saía com o meus colegas (com a permissão de mamãe) para ir jogar. E foi assim que me apaixonei por jogos de luta em geral. Mas Street Fighter teve um apelo maior em meu coração, tanto que me lembro (e ainda sobrou uns) de desenhos, bem infantis que eu fazia dos meus dois personagens favoritos, Chun-Li e Ryu (sim, meu amor por ele é de longa data), assim como da Cammy. 



Com o passar do tempo, procurava acompanhar tudo que saía do jogo e adquiria produtos e tentava me informar mais, desde sobre a história oficial, e outras (como doujins).

No que se refere a desenhos, Bengus, Akiman e outros artistas que trabalharam em SF, possuem bastante influência no meu traço. Aliás, se aprendi a desenhar caras mais "parrudos" foram graças a eles. 


E meu Ryu/Evil tem cara de SF Zero por conta disso! :v 

Eu ainda mantenho amizades da época do fliper e com a internet, conheci pessoas (como o Arildo "Mestre Ryu", Deco, e mais um monte que citei no post de aniversário do blog) que tinham esse gosto, por Street Fighter e outros jogos, em comum. Aliás, posso estar sendo ousada, mas se hoje eu estou casada, foi justamente por conta de eu gostar de Street Fighter (mesmo o maridão, "VH", preferindo KOF). Sim jogos de luta unindo corações, hauhauhauahuahau!!!



E com direito a roupinha de Ryu e poster do filme do Van Damme!!

Foi Street Fighter que me manteve escrevendo esse blog até hoje, foi com Street Fighter que aprendi muita coisa e conheci muita coisa. Sim, esse post tá piegas, pois está sendo um relato meloso de uma fã que fez até a festa do filho de SF! xD


Se eu escrevi tantos artigos, seja aqui ou no Fighters (que está sendo reformulado), se eu pesquiso tanta coisa, se tem dias que encho o saco do Luiz Fernando quanto a coisas referentes do material original em japonês, é justamente por gostar tanto desse jogo e querer dividir esse conhecimento com vocês.

E eu espero, que, por mais problemas que tenha, Street Fighter ainda dure muito, que venham outros aniversários e que conquiste novos jogadores e traga novidades, apesar do choro de alguns da fanbase mais tradicionais.

Então, deixando o sentimentalismo pra lá, aqui fica a minha homenagem ao meu jogo favorito! =) Um desenho, fazendo referência a um artwork clássico do Bengus, de Menat com o quepe de Ed (meu queridinho lindo e gostoso abaixo do Ryu):



E não deixem de conferir este post especial que meu amigo Roger fez no Streetfighter.com.br, Vocês irão gostar!!! See ya!!!!!

13 agosto 2017

Os papais de Street Fighter!!!

Nihao!!! Como vai meu povo? Devido a novas informações esse artigo foi atualizado! =) 

A princípio, ele foi escrito um pouco depois de ter ficado internada no hospital da USP, após uma cirurgia.

Hoje é dia dos pais, então, que tal falarmos um pouco sobre os pais da serie SF? Explicando que aqui não terá apenas pais "biológicos" e sim qualquer personagem que se encaixe na definição de pai. Agradeço ao leitor Douglas Moraes que tinha percebido que eu esqueci de colocar o Dhalsim na correria, na primeira versão do artigo. 

Então, conheça agora, os papais da série!!! =) 


Guile



Logo de cara ficamos sabendo que Guile é pai de uma linda menina chamada Christina (conhecida anteriormente nos EUA também pelo nome de Amy), em seu final icônico de SF II. E pelo que diz as imagens que se tem dele com sua família, é um pai amoroso e dedicado, apesar de seu dever para com seu país.


Ken




Todos sabem que Ken casou com Eliza, e em SF III conhecemos Mel, o fruto deste relacionamento (em SF IV ficamos sabendo da gravidez de Eliza). Mel é um menino bem ativo que parece querer seguir os passos do paizão e ser um ótimo lutador!!! xD 



Dorai, o pai de Chun-Li 



Depois de muito tempo, a Capcom oficializou o nome Dorai, que apareceu em SF II V. 

Dorai foi praticamente um "pai solteiro". Sua esposa morreu quando Chun-Li era bem pequena e ele teve que criar a menina sozinho. Ele foi a única família que Chun-Li conheceu (apesar que em um dos CDs Drama da série, mostre um rapaz que é dito ser um tio) e por tanto carinho que ela demonstra por ele, deve ter sido um ótimo pai.  

Em SF II V, ele não morre, apesar da tentativa de assassinato por parte de Cammy, a mando da Shadaloo. Dorai também aparece rapidamente numa cena em SF II - The Animated Movie, a de sua morte. Nos quadrinhos da Udon, ele desaparece e fica subentendido que ele sofreu uma lavagem cerebral e se transformou em Q. Em SF - The Movie, ele é citado rapidamente na conversa que Chun-Li e Vega/Bison tem (onde ocorre o famoso meme da Terça-feira). No cartoon de SF, ele é morto pelas mãos do próprio Vega/Bison, na frente de Chun-Li. E no filme da "Chun-Lana", ele é dado como desaparecido, sendo morto anos mais tarde. 


Mais informações sobre Dorai, vocês podem acessar a ficha dele no CFN Portal.


Gouken 


Gouken é o mestre de Ryu e Ken e pai adotivo de Ryu. Ele criou Ryu desde pequeno, dando amor e ensinando o caminho das artes marciais para o menino. A série Assassin's Fist, mostra lindamente a relação entre eles, e também de como Gouken meio que se tornou uma figura paterna para o jovem Ken.  


No passado, Gouken tinha uma filha de sangue, mas que foi esquecida pela Capcom com o passar dos anos e o aperfeiçoamento do plot.

Dhalsim



Dhalsim é outro pai de família presente no jogo!!!^^ Pelo que sabemos de sua personalidade, um lutador de coração bondoso e sábio, e pelo fato de seu filho Datta o adorar, está na cara que ele é um ótimo pai!!!^^  


Sr. Masters 



O pai de Ken que o deixou no dojo do seu grande amigo Gouken, para que o menino não fosse um pirralho, mimado, sanguessuga de dinheiro e aprendesse sobre disciplina. 

Na série Assassin's Fist, o Sr. Masters, deixa Ken aos cuidados de Gouken, para que o jovem aprenda a canalizar a sua raiva e frustração, fazendo com que não possa causar problemas ao seu pai e aos negócios da família. Isso, a princípio, deixa Ken revoltado, pois ele tinha acabado de perder a mãe. Anos mais tarde, Ken compreende a difícil decisão que seu pai tomou e faz as pazes com ele. 


Gou Hibiki 



O pai de Dan, que cegou Sagat e pagou com a própria vida. No jogo Pocket Fighter, Gou aparece usando uma máscara tengu, em dois "especiais" (sim vou usar esse termo, até porque em cada jogo eles mudam ¬¬) de Dan.

Nos quadrinhos da Udon, as circunstâncias de sua morte deve-se ao fato de tentar salvar o seu dojo, pois a Shadaloo, que controlava a área onde ele ficava, exigia que Gou pagasse 10.000 dólares de Hong Kong.


Mais informações sobre Gou, vocês podem conferir no CFN Portal.   
Hakan 


Todos conhecem o controverso (para os fãs) lutador turco e já devem ter notado umas garotinhas que ficam junto dele. Pois bem, essas menininhas são as suas filhas, ao todo SETE (da mais velha para a mais nova: Abla, Susam, Hurması, Tereyağı, Kanola, Zeytin e Ayçiçeği)!!! E ele é um pai coruja, ou usando as palavras de Guile, um homem de família! E uma família BEM grande.


Tom (amigo de Alex) 



Tom é um grande amigo de Alex e tem uma linda filha, chamada Patricia. Pelo que o jogo mostra, um bom pai (e clone de Jean Reno nas horas vagas), já que o storyline não se aprofunda nesta questão.
  

Mais informações sobre Tom, no CFN Portal.

O Pai de Elena 


Elena tem um bom relacionamento com sua família, então provavelmente, seu pai é um cara legal! 

Vega/M. Bison 



Ok, muitos devem ter ficado surpresos com a inclusão dele nessa lista. Até porque, depois de tantos exemplos bons de pais, temos um megalomaníaco, sanguinário, que comanda uma organização criminosa que abusa de menininhas. Bem, pode-se considerar Bison como o pai de Cammy e Decapre, essa última, seguindo a linha da Udon, já que no game, apesar de óbvia a semelhança entre as duas, ainda deixa algumas questões nebulosas, já que ambas possui seu material genético. Não que isso tenha garantido uma vida mais fácil para as garotas, pelo contrário Decapre foi descartada, pois deu errado (lembrando, de novo, seguindo a linha da Udon), assim como Cammy, quando Bison encontrou Ryu (o corpo perfeito).

Além disso, temos Abel, que é um dos clones genéticos criados a partir do DNA de Vega/Bison para o corpo perfeito e Ed, o jovem garoto que Bison/Balrog resgatou da base da S.I.N, que sofreu experiências genéticas, tendo agora o DNA do supremo comandante da Shadaloo e sendo outro corpo extra do mesmo. 

Vega/Bison é a metáfora perfeita para aqueles que são pais apenas no papel e no DNA, que não dão a mínima para seus pimpolhos. É a antítese de todos os pais citados até o momento no artigo. 


Porém, em algumas mídias, vemos um lado de Vega/Bison que não existe nos games. Em Legend of Chun-Li, nos é apresentado Rose, sua filha (no filme fica claro que misturaram as histórias de Rose e Cammy) e que também é a parte boa de sua alma. É a única criatura do mundo que ele nutre algum amor, sendo capaz de tudo para protegê-la. E em alguns manhuas de SF, Vega/Bison é apresentado como sendo padrasto ou pai de Chun-Li, e assim como ocorre no filme da "Chun-Lana", se preocupando com a sua enteada/filha.  


Gen 



Aposto que vocês também ficaram com um WTF na cabeça. A inclusão de Gen nessa lista, deve-se a dois fatores.

O primeiro é que Gen, em honra ao pai de Chun-Li (seu grande amigo), protege e cuida da chinesa "nas sombras" (mesmo que ela não goste), chegando a arriscar a própria vida para salvá-la. Gen seria aquele pai que está brigado com o filho, e sem o filho notar, continua o ajudando e o protegendo. 


O segundo fator para a inclusão dele é que no manhua de SF II, Gen é o pai de Chun-Li e Blanka (não que ele fosse presente e menos ainda exemplo de pai). Ok, podem ir cortar seus pulsos agora.  

M. Bison/Balrog


Sim, quem diria que aquele lutador que só pensa em dinheiro, mulheres e vitórias, seria (de maneira torta) um bom pai. E de uma cria do Vega/Bison!

M. Bison/Balrog conheceu Ed no que tinha sobrado da base da S.I.N., e a princípio, seu interesse no menino foi pelo fato de Ed ser um dos corpos de Vega/Bison e conseguir controlar o Psycho Power em pequenas quantidades.

Em SF V, vimos que os dois se tornaram inseparáveis e Bison/Balrog, se tornou tutor (e figura paterna) de Ed, no caminho do crime, assim como seu amigo.

Mesmo que a princípio Bison/Balrog tenha tido algum interesse escuso por Ed, ele se afeiçoou ao garoto. Inclusive, no modo história de Ed, fica claro que o boxeador era a família de Ed. E quando ele foi embora, Bison/Balrog fica em prantos (destaco aqui a dublagem americana, que deixou isso bem evidente).


Menções Honrosas 

Como eles não fazem parte da série principal (SF), ficaram por aqui! ^^ 


Mike Haggar



Um bando de malfeitores sequestrou e humilhou sua filha!!! O que fazer? Sair espancando todos os delinquentes da cidade e jogar do prédio um cadeirante que era o chefe do crime, para salvá-la!!! Haggar personifica bem aquela frase, toda donzela tem um pai que é um fera!!! 


Mais detalhes sobre Haggar, podem ver a ficha dele no CFN Portal.


Sr. Genryusai 







Ele é o pai de Rena (que era, em Final Fight, noiva de Guy) e Maki. Aparentemente um bom pai, pois há poucas informações sobre ele, a não ser que ele era, no princípio, o mestre de Guy (coisa que foi mudada posteriormente).


Menção Troll 

WTF, boatos e trollagem até dizer chega!!! xD 


Charlie Nash 



Rola um boato de que ele poderia ser o pai de Lauren, filha de C. Viper. Mas são só boatos, nada que se deva levar a sério.  


Akuma 



Em algumas mídias fica subentendido que ele poderia ser o pai biológico de Ryu. Só que em nenhum momento nos jogos, tal coisa é mencionada ou cogitada. 


A "relação familiar" mais próxima que Akuma poderia ter com Ryu é ser seu tio, visto que o lutador é filho adotivo de Gouken. 


Ryu 



O QUE RYU ESTA FAZENDO NESTA LISTA, SUA DOIDA??? Bem, no manhua de SF EX, Vulcano Rosso (que é um tipo de entidade) se apossa do útero de Chun-Li (que estava casada com Ryu), faz uma gravidez relâmpago nela (sério, coisa de minutos a barriga dela está gigante) e nasce. 

Mesmo não sendo filho de Ryu, o japonês a principio o trata como sendo (mesmo Vulcano discordando). Cortesia dos nossos amados roteiristas trolls chineses!!!! xD 


Espero que tenham curtido o artigo. Desejo a todos um Feliz Dia dos Pais (incluindo o meu maridão e meu pai, que está nos braços de Deus)! See ya!!! 

20 julho 2017

Shin: O street fighter esquecido

Quem diria, outra atualização. Ontem, o CFN Portal (obrigada Deco e Luiz do Streetfighter.com.br pelas mensagens) atualizou a enciclopédia e para a minha surpresa, era com a ficha de Shin! E, ao contrário de alguns personagens como Shadow Lady e Violent Ken, que são canônicos num universo alternativo (sim, o Violent não é cânon até segunda ordem), Shin seguiu os passos de Ruby Heart e se tornou cânon no universo principal da série!

Com isso, agora incluso neste artigo, a ficha traduzida de Shin e quem ainda não o conhece, agora vai conhecer o primeiro lutador de taekwondo da franquia SF!!!! Ah, e assim que o problema no servidor do Fighters for resolvido, esse artigo será atualizado lá também! =) 

Esse foi um post que publiquei originalmente no meu blog do Fighters (que está fora do ar no momento, o blog, não o site), no dia 29 de maio de 2010, como podem conferir aqui.
Shin
Bom hoje o post vai ser sobre um personagem que apareceu na franquia Street Fighter, mas que aposto, poucos sabem de sua existência. Não estou falando dos personagens de Street Fighter Movie, que a Capcom canonizou (lembram do Sawada?), do cyborg de Street Fighter The Animated Movie ou daquela menina pentelha do Street Fighter II V (a Rinko, que nem chegou a aparecer nos games da série). Falo de um bem recente, que apareceu no estranho Street Fighter Online Mouse Generation: Shin.Logo_1
“Street Fighter Online? Mas que p&**$% é essa?” Me pergunta o pequeno gafanhoto. Acho que muitos nem estão lembrados disso, até porque só foi lançado no Japão e ofuscado com a produção de Street Fighter IV. E nem tente achar o site oficial deste treco, pois já saiu do ar a muito tempo.
Intro_2
Chun Li na intro de SFO

Fazendo um resumo resumido deste jogo (retirado da Capcom Database), é nada mais, nada menos, que um jogo de luta produzido pela subsidiária da Capcom, Daletto em associação com a Revoltech, lançado para PC em 9 de julho de 2008, por download. O jogo usa um mouse de computador para combate, e os personagens são personalizáveis em algum grau. Além do estabelecido personagens de Street Fighter no jogo, Mouse Generation também inclui personagens baseados em livros chineses e do mangá Cyborg 009. Seu serviço online foi encerrado em 31 de agosto de 2009.
É parte da série Street Fighter, mas é considerado não-canônico pela maioria dos fãs (e você consideraria? O.o). Irei falar mais sobre esse game em um futuro artigo.
Custom_25
Costumização especial de Ryu: Barack Obama

Neste game, além dos velhos conhecidos Ryu, Chun Li, Zangief, Ken e Guile, ainda tínhamos Akira e Batsu de Rival Schools, e personagens de outras mídias e empresas como os personagens das séries de livros de Louis Cha’s como Teiran (He Tieshou em chinês), o Cyborg 009 do anime Cyborg 009, Johannes Krauser II do mangá Detroit Metal City e o personagem Gavan do tokusatsu Space Sheriff Gavan. O único personagem exclusivo deste game foi Shin.

O desconhecido Shin
Shin (1)
Shin é um lutador de Taekwondo, filho de uma sul-coreana, cujo o pai foi campeão de taekwondo, e de um lutador japonês campeão de caratê. Ele não é muito chegado em artes marciais e prefere dedicar o seu tempo a música, mas se sente pressionado, devido a tradição de sua família.

Seu conceito sobre as artes marciais mudou quando estudou no Reino Unido e nos EUA, onde começou a assistir lutas de Vale Tudo. Inspirado nessas lutas, Shin decidiu praticar o taekwondo por ser “legal, de aparência brilhante”.

Entre os seus ataques especiais temos:



The Tornado (トルネード Toruneedo) - Semelhante ao ataque de mesmo nome utilizado por Sean, consiste num chute giratório aéreo, que causa numerosos hits no adversário.


The Shinku Geri (真空蹴り Shinkuu Geri, Vacuum Kick) -  É um chute reverso rolatório energizado que lança um projétil em forma de crescente, semelhante ao Sonic Boom, no oponente. O movimento também podia ser feito no ar, para baixo, na diagonal.


The Jinrai San Renkyaku (迅雷三連脚 Thunderclap Triple Leg) é um ataque anti-aéreo, onde Shin faz um chute backflip no adversário.



The Shooting Star (シューティングスター Shutingusuta?) é o Super Combo de Shin, em que ele realiza vários Shinku Geris em sucessão, disparando vários projéteis, terminando com um Jinrai San Renkyaku, que emite uma grande onda de choque.

Infelizmente não se tem muita coisa para falar sobre o estilo de jogo de Shin, a não ser os golpes. Não joguei o SF Online e o jogo está oficialmente morto. Sobre o visual achei bem legal. Não segue o padrão da maioria dos lutadores de taekwondo como Kim e Jhun de KOF. E assim como Hwoarang (e um pouco o Jhun) não segue a linha da  maioria fisicamente falando, devido a cor de seus olhos e cabelos. Mas assim como praticamente todos os lutadores de taekwondo que aparecem nos games é um “good guy”, a sua maneira.
391467 - Juri_Han Street_Fighter comicclose
Num fica aborrecida não Juri... Você é mais conhecida e mais querida!!! =D

Porém, o que pouquíssimas pessoas sabem é que ele surgiu antes de Juri Han de Super Street Fighter IV!!!! O personagem foi entregue para download em 18 de dezembro de 2008, e desde o seu lançamento, conforme informações a Wikipedia japonesa, o personagem era explorado numa perspectiva de personagem principal do jogo (mesmo ele não tendo um storyline sólido para um jogo de luta). Sem contar que, como era um personagem original, seu lançamento foi bastante aguardado entre os jogadores. Já sobre Juri, as primeiras informações sobre ela surgiram  nos meados de 2009. Ou seja, Shin foi o primeiro lutador de taekwondo a dar a cara em algum game da franquia Street Fighter. Pelo menos uma coisa legal que ambos compartilham é a originalidade na composição. Sendo que neste último caso, Juri ganha em disparada em alguns quesitos.

Bem, como o SFO saiu apenas no Japão, é certo dizer que Juri foi a primeira a ser conhecida por nós, ocidentais. Sem falar que ela faz parte de um game canônico, que independendo se a história se encaixa antes ou depois de SF II, ou em um futuro alternativo, possui um enredo, mesmo não sendo grande coisa.
Quem quiser dar uma conferida em alguma coisa, pode dar uma olhada na Wikipedia japonesa, que é bem completa sobre SFO. Só não aconselho usar o tradutor do Google… ¬¬

Por último, deixo a ficha publicada pelo CFN Portal sobre o personagem! Confira logo abaixo os dados do garotão!


Shin 
 
Seu pai é um karateka e sua mãe vem de uma linhagem de mestres de Taekwondo.

Motivado pelo Vale Tudo, que conheceu na América, pretende se tornar um lutador. 

Altura: 178cm

Peso: 77 kg
Tipo de sangue: AB
Aniversário: 9 de julho
País de origem: Coreia do Sul
Coisas favoritas: Música, coisas impressionantes
Não gosta: Coisas sóbrias 

Um belo jovem. 

Shin tem grande confiança em si mesmo e é um pouco narcisista, porém é um legítimo especialista em taekwondo. 

Ele está estudando na América, buscando seu caminho na música e na pintura. 

Durante a sua estadia no albergue, ele viu, por acaso, o torneio de Vale Tudo "Eternal Fighting", e a partida entre Alex e Gerald Golby, o impressionou. 

Inspirado, ele voltou imediatamente para a Coréia e retomou sua prática no taekwondo.

E por último quero agradecer ao André Vieira que me deu uma força na tradução do artigo da Wikipedia japonesa, no que se refere ao Shin. Arigato!!!!
Bom povo até a próxima!!!!^^ Kisses e see ya!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Ah e comentem!!! xD

30 maio 2017

Evil Ryu e Violent Ken são racistas?


Esses dias no Facebook surgiu um vídeo (e também um artigo) afirmando que Evil Ryu e Violent Ken seriam racistas, por serem "negros" e malvados. Eu irei falar sobre isso e sei que a minha posição não vai agradar algumas pessoas.

Primeiro quero deixar claro uma coisa, já que tem gente que te ignora e afirma que "você não tem lugar de fala" se você não tiver certas características. Eu sou afrodescendente e já sofri racismo. Minha pele é morena, sou mestiça. Eu me vejo assim porque reconheço as minhas origens e estou um tanto farta de ser uma "parda de Schrödinger", ou seja, ser usada pela militância doida como negra quando bem entende e depois ser xingada de sinhá da casa grande, quando não concordo com algum ponto de vista. Então, vamos a minha análise.

A primeira coisa que temos que notar é o conceito de luz e trevas  NÃO é associado a cor da pele. A luz, a claridade, falando de maneira BEM SIMPLIFICADA, seria algo bom, legal, bacana. As trevas, seria a escuridão completa, algo ruim, o fim de tudo. Claro que temos outros significados, ainda mais quando lemos conceitos sobre o Yin e o Yang e outros. Abaixo, vocês podem ler uma pequena explicação sobre esse conceito, tirado deste site:
Luz e Trevas:

Na religiosidade semita estava sempre presente a dualidade luz e trevas, a luz significando o bem e as trevas significando o mal. Vê-se essa dualidade na cultura dos essênios e igualmente em outras religiões orientais como, por exemplo, no zoroastrismo. O Evangelho de S. João destaca o valor que tinham os conceitos luz e trevas para conotar o bem e o mal, Deus e o demônio e a vida eterna e a morte eterna e também o Logos. Na Primeira catequese Mistagógica aos Recém-iluminados, S. Cirilo prega aos neófitos dizendo: “Entrastes primeiro no adro do batistério. Depois vos voltastes para o Ocidente e atento escutastes. Recebestes então a ordem de estender a mão, e renunciastes a satanás...” De acordo com a liturgia da época, as igrejas eram construídas com a frente para o Oriente ou nascente (onde nasce o sol, lugar de luz) o altar ficava para o lado do Ocidente, ou poente (onde o sol se põe, lugar das trevas). Os batizandos, deveriam dizer:  “Eu renuncio a ti, satanás”. Quero também falar-vos porque estais voltados para o Ocidente, pois é necessário. O Ocidente é o lugar das trevas visíveis e como aquele [satã] é trevas, tem o seu poder nas trevas. “Por essa razão, simbolicamente olhais para o Ocidente e renunciais a este príncipe tenebroso e sombrio...” (S. CIRILO DE JERUSALÉM, 1977, p. 21). Além da Obra de Cirilo, ver, Nas referências Documentais, as obras de outros Padres da Antiguidade .

A partir do momento que você associa um conceito desses, ou algum outro similar, a cor da pele de alguém (seja associar ruindade a quem é negro ou afirmar que albinos são uma maldição como ocorre em alguns lugares da África), sinto muito, mas o racista está sendo você.


No caso, quando Evil Ryu e Violent Ken "mudam de cores", seria uma metáfora de que suas almas caíram na escuridão. 

O Satsui no Hadou que é o poder de Evil Ryu, está enraizado nos instintos mais obscuros do ser humano, como o da própria sobrevivência, em um nível metafísico, corrompendo o seu usuário. Ele se manifesta em praticantes assíduos do Ansatsuken, geralmente quando sentem um ódio muito intenso, ao ponto de querer matar alguém. O contraponto deste poder é o Mu no Hadou, sendo Gouken um dos usuários e o próprio Ryu com o passar do tempo. E podemos dizer que Gouki/Akuma soube dominar esse poder, pois diferente de Ryu, ele não fica insano e, ao contrário do que muitos pensam, não é um personagem maligno.

O Psycho Power é um poder que se alimenta do ódio, do medo e de várias emoções negativas, sendo Vega/Bison o principal usuário. Podemos ter ideia do quanto que esse poder se alimenta de energias negativas em A Shadow Falls (SF V), onde, graças ao projeto das Black Moons que trouxe caos em algumas partes do mundo, Vega/Bison ficou mais forte. O contraponto deste poder é o Soul Power, usado por Rose. Outro usuário conhecido por manipular o Psycho Power é Ed, mas diferente de Vega/Bison, ele não é maligno.


Quando Ryu é consumido pela energia maligna nos jogos, há uma transformação em seu corpo, ganhando um aspecto (principalmente em SF IV, onde ele não é uma mera "pallet swap") mais demoníaco, que chega a lembrar demônios do folclore japonês. Sua pele, fica mais escura, seus olhos sofrem uma transformação (a esclerótica ficando completamente preta e a íris ficando vermelha e brilhante), seus dentes ganham presas e os cabelos ficam cor de fogo, além de algumas cicatrizes. 


Ken, ao se tornar Violent Ken no game (da Capcom), ao ser consumido pelo Psycho Power ganhou presas, o cabelo ficou praticamente platinado, seus olhos ficaram numa tonalidade roxa (ou meio acinzentados), além de ter ganho presas, e a tonalidade de sua pele fica um pouco mais escura e LEVEMENTE ROXA (principalmente nos sprites do jogo).

Quando Ken sai do controle de Vega/Bison, suas características físicas voltam ao normal (demonstrando que a escuridão saiu de seu corpo), assim como ocorre com Ryu. E no caso de Ryu temos algo interessante, que é ignorado por muitos. Dependendo do jogo, Ryu não tem a pele branca e sim MORENA. Ryu a partir de algumas ilustrações da série SF II, teve a sua pele escurecida, ao ponto de em SF III ele ser praticamente moreno, lembrando um pouco alguns japoneses que vivem em Okinawa e no restante do arquipélago de Ryukyu. Se formos colocar numa ordem cronológica do game, Ryu em SF 1 e Zero possui uma pele clara, que com o passar do tempo, foi escurecendo. Sim, Ryu está longe de ser o branco que alguns defendem.

Ryu é branco, sei...

Na série SF, ainda temos outros personagens que durante algum momento foram possuídos por uma energia maligna mas que tiveram uma transformação diferente ou nem isso, como por exemplo:


  • Hokuto: onde as única mudanças vistas na personagem ao receber o Seal of Blood (血の封印 Chi no Fūin) são os seus olhos que ficam vermelhos e seu traje que ganha cores escuras;



  • Kairi: irmão de Hokuto que quando desperta o seu poder demoníaco fica com trajes claros, cabelo branco e olhos vermelhos;



  • Oni: quando Gouki/Akuma entra nesta forma ele fica com os olhos laranjas, cabelo branco e a sua pele fica num tom violeta, além de suas feições ficarem bem próximas as de diversos demônios do folclore japonês;


  • Cammy e as Shadaloo Dolls: quando estava sob controle de Bison, a única mudança vista em Cammy seria o seu olhar e seu uniforme, o mesmo ocorre com Juni. Nas Shadaloo Dolls, a mudança mais significativa, foi em A Shadow Falls, quando houve a potencialização do Psycho Power, com todas elas ganhando uma aura roxa e um olhar mais raivoso. Ao se livrarem do controle de Vega/Bison, não há mudanças físicas em seus corpos;

Cammy como Killer Bee, sob o controle de Vega/Bison

Cammy livre, na Delta Red

Juni, livre do controle de Vega/Bison junto de Cammy

As Dolls, incluindo Juni
Jianyu, Xiayu, Juli e Santamu, com o upgrade do Psycho Power
Decapre, Aprile e Santamu fora do controle de Vega/Bison

  • Abel: ao trabalhar infiltrado na base, Abel terminou sendo afetado pela potencialização do Psycho Power de Vega/Bison, ficando "insano". Assim como nas Shadaloo Dolls, a única mudança que teve foi a aura maligna em seu corpo.

Abel em A Shadow Falls, infiltrado na Shadaloo
Abel possuído pelo Psycho Power

Além disso tudo, a série ainda possui diversos personagens que são negros, pardos e não brancos, que não são vilões, como por exemplo: Dee Jay, Elena, Duddley, Dhalsim, Sean, Laura, Rashid, Pullum e outros, incluindo aqueles que não jogáveis, como o Azam.

E ainda temos os casos curiosos de Birdie que em Street Fighter 1 era branco e ficou negro depois, sendo que a Capcom afirmou que isso aconteceu pelo fato de Birdie estar doente naquela época (?!) e Matthew McCoy da Delta Red (o grupo da Cammy), que em SF II era branco, mas que virou negro em SF V, sem nenhum motivo aparente. 

Birdie, branco, em SF 1

Birdie atualmente, em SF V


Matthew, branco, junto com os seus companheiros de equipe

Matthew atualmente

O que quero dizer com isso tudo? Que muitas vezes a maldade está nos olhos de quem vê. Não nego que SF é um jogo cheio de esteriótipos (o atleta "comunista" que toma bomba, o japonês que segue o caminho de Musashi, a chinesa que luta kung fu, o americano que curte artes marciais, o americano militar patriota, etc...), e nesse caso em específico, o esteriótipo que vejo é o justamente de luz e trevas e não do racista branco salvador e bonzinho e negro malvado que te leva a perdição.

Eu termino vendo é justamente uma deturpação do conceito, induzindo a um olhar RACISTA! E infelizmente esse tipo de distorção está presente hoje na militância, é só olhar os casos onde afirmam apropriação cultural por alguém não negro usar um turbante (que nem de origem da cultura negra africana é), em vez de combater o verdadeiro mal (que seria a pessoa ser racista com um negro por usar o turbante e achar lindo qualquer pessoa que não é negra usar).

Enquanto tiver gente que, em vez de pesquisar e buscar entender o conceito que está por trás disso, ficar apenas apontando o dedo porque maldou alguma coisa e criar teorias em cima disso (mesmo tendo algum fundo de verdade no meio do raciocínio distorcido), só enfraquece e transforma em chacota a luta pelo qual acredita.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...