30 maio 2017

Evil Ryu e Violent Ken são racistas?


Esses dias no Facebook surgiu um vídeo (e também um artigo) afirmando que Evil Ryu e Violent Ken seriam racistas, por serem "negros" e malvados. Eu irei falar sobre isso e sei que a minha posição não vai agradar algumas pessoas.

Primeiro quero deixar claro uma coisa, já que tem gente que te ignora e afirma que "você não tem lugar de fala" se você não tiver certas características. Eu sou afrodescendente e já sofri racismo. Minha pele é morena, sou mestiça. Eu me vejo assim porque reconheço as minhas origens e estou um tanto farta de ser uma "parda de Schrödinger", ou seja, ser usada pela militância doida como negra quando bem entende e depois ser xingada de sinhá da casa grande, quando não concordo com algum ponto de vista. Então, vamos a minha análise.

A primeira coisa que temos que notar é o conceito de luz e trevas  NÃO é associado a cor da pele. A luz, a claridade, falando de maneira BEM SIMPLIFICADA, seria algo bom, legal, bacana. As trevas, seria a escuridão completa, algo ruim, o fim de tudo. Claro que temos outros significados, ainda mais quando lemos conceitos sobre o Yin e o Yang e outros. Abaixo, vocês podem ler uma pequena explicação sobre esse conceito, tirado deste site:
Luz e Trevas:

Na religiosidade semita estava sempre presente a dualidade luz e trevas, a luz significando o bem e as trevas significando o mal. Vê-se essa dualidade na cultura dos essênios e igualmente em outras religiões orientais como, por exemplo, no zoroastrismo. O Evangelho de S. João destaca o valor que tinham os conceitos luz e trevas para conotar o bem e o mal, Deus e o demônio e a vida eterna e a morte eterna e também o Logos. Na Primeira catequese Mistagógica aos Recém-iluminados, S. Cirilo prega aos neófitos dizendo: “Entrastes primeiro no adro do batistério. Depois vos voltastes para o Ocidente e atento escutastes. Recebestes então a ordem de estender a mão, e renunciastes a satanás...” De acordo com a liturgia da época, as igrejas eram construídas com a frente para o Oriente ou nascente (onde nasce o sol, lugar de luz) o altar ficava para o lado do Ocidente, ou poente (onde o sol se põe, lugar das trevas). Os batizandos, deveriam dizer:  “Eu renuncio a ti, satanás”. Quero também falar-vos porque estais voltados para o Ocidente, pois é necessário. O Ocidente é o lugar das trevas visíveis e como aquele [satã] é trevas, tem o seu poder nas trevas. “Por essa razão, simbolicamente olhais para o Ocidente e renunciais a este príncipe tenebroso e sombrio...” (S. CIRILO DE JERUSALÉM, 1977, p. 21). Além da Obra de Cirilo, ver, Nas referências Documentais, as obras de outros Padres da Antiguidade .

A partir do momento que você associa um conceito desses, ou algum outro similar, a cor da pele de alguém (seja associar ruindade a quem é negro ou afirmar que albinos são uma maldição como ocorre em alguns lugares da África), sinto muito, mas o racista está sendo você.


No caso, quando Evil Ryu e Violent Ken "mudam de cores", seria uma metáfora de que suas almas caíram na escuridão. 

O Satsui no Hadou que é o poder de Evil Ryu, está enraizado nos instintos mais obscuros do ser humano, como o da própria sobrevivência, em um nível metafísico, corrompendo o seu usuário. Ele se manifesta em praticantes assíduos do Ansatsuken, geralmente quando sentem um ódio muito intenso, ao ponto de querer matar alguém. O contraponto deste poder é o Mu no Hadou, sendo Gouken um dos usuários e o próprio Ryu com o passar do tempo. E podemos dizer que Gouki/Akuma soube dominar esse poder, pois diferente de Ryu, ele não fica insano e, ao contrário do que muitos pensam, não é um personagem maligno.

O Psycho Power é um poder que se alimenta do ódio, do medo e de várias emoções negativas, sendo Vega/Bison o principal usuário. Podemos ter ideia do quanto que esse poder se alimenta de energias negativas em A Shadow Falls (SF V), onde, graças ao projeto das Black Moons que trouxe caos em algumas partes do mundo, Vega/Bison ficou mais forte. O contraponto deste poder é o Soul Power, usado por Rose. Outro usuário conhecido por manipular o Psycho Power é Ed, mas diferente de Vega/Bison, ele não é maligno.


Quando Ryu é consumido pela energia maligna nos jogos, há uma transformação em seu corpo, ganhando um aspecto (principalmente em SF IV, onde ele não é uma mera "pallet swap") mais demoníaco, que chega a lembrar demônios do folclore japonês. Sua pele, fica mais escura, seus olhos sofrem uma transformação (a esclerótica ficando completamente preta e a íris ficando vermelha e brilhante), seus dentes ganham presas e os cabelos ficam cor de fogo, além de algumas cicatrizes. 


Ken, ao se tornar Violent Ken no game (da Capcom), ao ser consumido pelo Psycho Power ganhou presas, o cabelo ficou praticamente platinado, seus olhos ficaram numa tonalidade roxa (ou meio acinzentados), além de ter ganho presas, e a tonalidade de sua pele fica um pouco mais escura e LEVEMENTE ROXA (principalmente nos sprites do jogo).

Quando Ken sai do controle de Vega/Bison, suas características físicas voltam ao normal (demonstrando que a escuridão saiu de seu corpo), assim como ocorre com Ryu. E no caso de Ryu temos algo interessante, que é ignorado por muitos. Dependendo do jogo, Ryu não tem a pele branca e sim MORENA. Ryu a partir de algumas ilustrações da série SF II, teve a sua pele escurecida, ao ponto de em SF III ele ser praticamente moreno, lembrando um pouco alguns japoneses que vivem em Okinawa e no restante do arquipélago de Ryukyu. Se formos colocar numa ordem cronológica do game, Ryu em SF 1 e Zero possui uma pele clara, que com o passar do tempo, foi escurecendo. Sim, Ryu está longe de ser o branco que alguns defendem.

Ryu é branco, sei...

Na série SF, ainda temos outros personagens que durante algum momento foram possuídos por uma energia maligna mas que tiveram uma transformação diferente ou nem isso, como por exemplo:


  • Hokuto: onde as única mudanças vistas na personagem ao receber o Seal of Blood (血の封印 Chi no Fūin) são os seus olhos que ficam vermelhos e seu traje que ganha cores escuras;



  • Kairi: irmão de Hokuto que quando desperta o seu poder demoníaco fica com trajes claros, cabelo branco e olhos vermelhos;



  • Oni: quando Gouki/Akuma entra nesta forma ele fica com os olhos laranjas, cabelo branco e a sua pele fica num tom violeta, além de suas feições ficarem bem próximas as de diversos demônios do folclore japonês;


  • Cammy e as Shadaloo Dolls: quando estava sob controle de Bison, a única mudança vista em Cammy seria o seu olhar e seu uniforme, o mesmo ocorre com Juni. Nas Shadaloo Dolls, a mudança mais significativa, foi em A Shadow Falls, quando houve a potencialização do Psycho Power, com todas elas ganhando uma aura roxa e um olhar mais raivoso. Ao se livrarem do controle de Vega/Bison, não há mudanças físicas em seus corpos;

Cammy como Killer Bee, sob o controle de Vega/Bison

Cammy livre, na Delta Red

Juni, livre do controle de Vega/Bison junto de Cammy

As Dolls, incluindo Juni
Jianyu, Xiayu, Juli e Santamu, com o upgrade do Psycho Power
Decapre, Aprile e Santamu fora do controle de Vega/Bison

  • Abel: ao trabalhar infiltrado na base, Abel terminou sendo afetado pela potencialização do Psycho Power de Vega/Bison, ficando "insano". Assim como nas Shadaloo Dolls, a única mudança que teve foi a aura maligna em seu corpo.

Abel em A Shadow Falls, infiltrado na Shadaloo
Abel possuído pelo Psycho Power

Além disso tudo, a série ainda possui diversos personagens que são negros, pardos e não brancos, que não são vilões, como por exemplo: Dee Jay, Elena, Duddley, Dhalsim, Sean, Laura, Rashid, Pullum e outros, incluindo aqueles que não jogáveis, como o Azam.

E ainda temos os casos curiosos de Birdie que em Street Fighter 1 era branco e ficou negro depois, sendo que a Capcom afirmou que isso aconteceu pelo fato de Birdie estar doente naquela época (?!) e Matthew McCoy da Delta Red (o grupo da Cammy), que em SF II era branco, mas que virou negro em SF V, sem nenhum motivo aparente. 

Birdie, branco, em SF 1

Birdie atualmente, em SF V


Matthew, branco, junto com os seus companheiros de equipe

Matthew atualmente

O que quero dizer com isso tudo? Que muitas vezes a maldade está nos olhos de quem vê. Não nego que SF é um jogo cheio de esteriótipos (o atleta "comunista" que toma bomba, o japonês que segue o caminho de Musashi, a chinesa que luta kung fu, o americano que curte artes marciais, o americano militar patriota, etc...), e nesse caso em específico, o esteriótipo que vejo é o justamente de luz e trevas e não do racista branco salvador e bonzinho e negro malvado que te leva a perdição.

Eu termino vendo é justamente uma deturpação do conceito, induzindo a um olhar RACISTA! E infelizmente esse tipo de distorção está presente hoje na militância, é só olhar os casos onde afirmam apropriação cultural por alguém não negro usar um turbante (que nem de origem da cultura negra africana é), em vez de combater o verdadeiro mal (que seria a pessoa ser racista com um negro por usar o turbante e achar lindo qualquer pessoa que não é negra usar).

Enquanto tiver gente que, em vez de pesquisar e buscar entender o conceito que está por trás disso, ficar apenas apontando o dedo porque maldou alguma coisa e criar teorias em cima disso (mesmo tendo algum fundo de verdade no meio do raciocínio distorcido), só enfraquece e transforma em chacota a luta pelo qual acredita.

01 abril 2017

Sheng Long: A Lenda Lendária “Imorrível” de SF

Post atualizado!!!!! =) 

Nihao, aproveitando o primeiro de abril, estou publicando aqui uma postagem que pus no Fighters. Quero aproveitar também, para não contar uma mentira, e pedir desculpas se não ando respondendo e nem lendo os comentários. Ando meio ocupada, mal estou conseguindo terminar a postagem que prometi na fan page do blog. Peço desculpas por isso. Assim que possível, irei ler os comentários e talvez, responde-los com calma.

Agora, vamos ao artigo sobre uma das maiores lendas do universo de Street Fighter!!!^^

Há muito tempo atrás, numa década e século nem tão distantes, surgiu um jogo de luta chamado Street Fighter. Um dia a empresa que tinha feito esse jogo, Capcom, resolveu que era hora de fazer o SF II. E aí surgiu uma das franquias de fighting games mais famosas de todos os tempos.


Numa época que internet era restrita a pouquíssimas pessoas, uma revista, chamada EGM, que costumava a pregar peças em seus leitores no dia 1º de abril, resolveu fazer uma brincadeira: Afirmou que, após cumprir certas condições, ao enfrentar M. Bison, um misterioso personagem aparecia e o derrotava. E agora, caberia ao jogador, derrotar este poderoso guerreiro, aquele que é, na verdade o mestre de Ryu e Ken, e quem Ryu citava na sua frase de vitória.


Você precisa derrotar Sheng Long para ter uma chance.



Eis que a brincadeira pegou muitos. Sheng Long tornou-se famoso, mesmo com a revista desmentindo depois. Muitos acreditavam no mito Sheng Long e nos EUA, durante um bom tempo esse nome era utilizado como sendo do mestre de Ryu e Ken, ao contrário do que ocorria no Japão, onde era Gouken. Aliás, foi revelado que nos bastidores de produção do jogo Street Fighter - The Movie, que iríamos ter o Sheng Long no jogo, sendo ele o mestre de Ryu e Ken.




Sheng Long continuou no imaginário dos jogadores e, de certa forma, deu origem ao personagem Gouki/Akuma, pois ele aparecia da mesma forma que Sheng Long, derrotando Bison.



Anos depois do nascimento do mito, surgiu SF III. Com o desaparecimento de quase todo o elenco, a mesma brincadeira foi feita e muitos acreditaram. Mas, Sheng Long não iria se tornar real. A não ser no Mugen, na mão de criadores de personagens originais. Aliás, tal notícia fake chegou a aparecer na extinta revista Ação Games.



Pode-se dizer que Sheng Long não foi esquecido. Quando a Capcom resolveu lançar SF IV, confirmou a presença do mestre de Ryu e Ken, porém, com uma aparência um pouco mais velha daquela que foi apresentada aos jogadores de SF Zero/Alpha. Ele estava bastante parecido com o nosso velho conhecido, Sheng Long.


"You must defeat me to stand a chance"

Uma de suas frases de vitória era uma brincadeira à tradução infame da frase de Ryu (já que Sheng Long é a pronúncia chinesa de Shoryuken), e que também seria frase dita por Sheng Long, quando ele te ganha.

Mas a “homenagem” ao mito, não parou por aí. Recentemente a versão japonesa do CFN Portal divulgou um profile que deixou muitos surpresos. Sim, a ficha de Sheng Long! Abaixo vocês poderão conferir a tradução feita pelo Eventhubs do profile do lendário personagem. E a título de curiosidade, a palavra “uso” que consta na imagem dele é o termo japonês para mentira, ou seja, tudo não passa de uma brincadeira.


Introdução 
Desta vez, temos o Mestre Sheng Long para vocês.
Qual é a relação dele com Ryu ...?!
Dominando as artes marciais, ele se transformou numa lenda viva.
Aparentemente, quem o vê, morre dentro de 24 horas. 
Informações Básicas 

Nome: Sheng Long
Altura: 185cm
Peso: 70kg
Tipo de sangue: Desconhecido
Aniversário: 1º de abril
País de origem: Desconhecido
Gosta: De hoje
Não gosta: Ferramentas de modificação

Profile 
Ele lança Hadoukens com uma mão, pode desencadear Shoryukens no ar, um verdadeiro artista marcial.
Ele é uma misteriosa presença que aparece se você continuar recebendo draws games!
Seus movimentos especiais, além de Hadouken, Shoryuken e Tatsumaki Senpukyaku, são: 
Jigoku Tomoenage - Um agarrão que derrota instantaneamente seu oponente
Renkoin - Ele continuará sendo ressuscitado várias vezes
Daihan - Irrita seu adversário
E outros golpes do tipo! 
Dentre eles, Sheng Long também tem a Critical Art Rei-In-Bou, onde ele muda de personalidade instantaneamente. Tanto poder para um 3-dan!


Mesmo sendo apenas uma mentira, Sheng Long continuará no imaginário de vários jogadores, ainda mais depois desta homenagem! Assim como tantos outros personagens lendários, como Ashura (de Sonic) e Pedro (de Mortal Kombat).

03 fevereiro 2017

Street Fighter no anime Akiba's Trip!!!

Ok, todo mundo sabe que o mundo das animações pode ser repleto de referências, para nenhum Capitão América por defeito! xD Mas, e quando um episódio é inteiramente dedicado a falar sobre o seu jogo favorito? 

Foi o que aconteceu em Akiba's Trip, que homenageou a série Street Fighter! 


O personagem principal, o rapaz Tamotsu Denkigai, após perder um round de perfect numa partida de Street Fighter II’ Turbo, se vê obrigado a participar de um campeonato de Street Fighter V! Confira o episódio logo abaixo.


Como vocês puderam ver,  é possível reconhecer algumas referências expostas, como a partida de Daigo contra Justin no EVO, e alguns jogadores profissionais, como o próprio Daigo! Uma outra possível referência ocorre durante a última luta do campeonato de SF V. No EVO 2015, durante o campeonato de Ultra Street Fighter IV, o jogador Poongko ficou sem camisa como resposta a provocação de seu oponente. Poongko também tirou a camisa na grande final do Canada Cup 2014.


Então, caro Capitão América, o que achou disso tudo?


Lembrando que não é a primeira vez que Street Fighter é homenageado em algum anime. Mas que foi uma grata surpresa esse episódio, isso foi! =)

26 janeiro 2017

Conhecendo Evil Ryu e Violent Ken

Nihao!!!! =) Sim, podem me dar esporro, não falei nada, ao menos aqui no blog, sobre algumas coisas de SF. é que tem dias que é meio complicado postar mesmo (se imaginassem os artigos atrasados que tenho, sem falar nas ideias...).

Então, para não deixar vocês tristes, que mesmo me vendo no Fighters, me acompanham aqui, então que tal conhecer mais sobre dois personagens que estarão no novíssimo Ultra Street Fighter II? Sim, falo do meu gostoso, Evil Ryu e do com cara de "muitos amigos" Violent Ken! =) Então, vamos lá! ^^

Primeiro, o meu queridinho, Evil Ryu! :3



Evil Ryu (também conhecido como 殺意の波動に目覚めたリュウ - Satsui no Hadou ni Mezameta Ryu - no Japão) é um velho conhecido dos jogadores de Street Fighter, sendo, na verdade, Ryu possuído pela energia Satsui no Hadou (a mesma de Akuma). Sua primeira aparição foi no mangá de Masahiko Nakahira, Street Fighter Alpha (que chegou a ser publicado aqui no Brasil pela New Pop), sendo reaproveitado pela Capcom posteriormente em Street Fighter Zero 2. Aliás, me lembro do quanto joguei com o Evil Ryu no velho Saturn...

Curiosamente, essa não foi a primeira versão maligna de Ryu a aparecer em uma mídia fora dos jogos. No anime Street Fighter II V, em dado momento tanto Ryu, quanto Chun-Li, ficam sob o controle de Bison através do Cyber Chip (lembram?). 



Nos quadrinhos publicados no início dos anos de 1990 pela Malibu Comics, existia uma cópia maligna cibernética de Ryu, que inclusive é a motivação da personagem Nida, exclusiva desse quadrinho. Ela quer vingança de Ryu, pois acredita que esse matou o seu pai (na verdade foi o clone cibernético dele). 


A personagem Nida, que quer vingar seu pai morto pelo clone de Ryu
E no manhua (mangá chinês) oficial de Street Fighter II, para quem leu o meu artigo sobre ele (não leu? Então clique aqui) existia um Ryu maligno, que era, na verdade, o demônio pessoal de Ryu que tomou forma física.


Ryu vs "Oni Ryu"
Apesar de sua primeira aparição nos jogos ocorrer em Street Fighter Zero 2, na história, Evil Ryu deu as caras na luta de Ryu contra Sagat, em Street Fighter 1. Em um dado momento da batalha, Ryu perdeu o controle de si, se tornando o Evil Ryu, e terminou desferindo um violento Shoryuken em Sagat, ganhando a luta e deixando uma marca em seu peito.



Desde esse dia, Ryu trava uma batalha interna para não ser consumido por esse poder, conseguindo finalmente o controle dele em Street Fighter V, ao ter sua última luta contra Necalli.



Evil Ryu participou de outros jogos da série, como Street Fighter Zero 3, Super Street Fighter IV (e o Ultra), fez uma ponta em Street Fighter V no prólogo de Ryu, assim como em alguns crossovers como SNK vs. Capcom: The Match of the Millennium, Capcom vs SNK, Capcom vs SNK 2, Namco vs Capcom, e até mesmo em Asura's Wrath na série Street Fighter EX.
Assim como ocorre com Akuma, Evil Ryu também possui um kanji como sendo a sua assinatura, sendo no caso dele o kanji para destruição, metsu.



Na série Street Fighter IV, seu visual foi atualizado, o deixando mais ameaçador. Seus cabelos ganharam uma tonalidade vermelha, além de ter ganho presas em seus dentes, uma cicatriz em suas costas no formato do kanji ten 天 (o de Akuma, que significa céu/paraíso) e um buraco em seu peito, que provavelmente faz referência a uma cena em que Akuma golpeia Ryu no peito no mangá Street Fighter III: Ryu Final, de Masahiko Nakahira.



Abaixo, vocês podem conferir os dados de Evil Ryu, conforme o CFN Portal:
Anteriormente, vimos Ryu, agora vamos dar uma olhada nele quando é consumido pelo Satsui no Hadou! Seus movimentos parecem um pouco com os de Necalli. Será que existe algum tipo de conexão!? 
Nome: Evil Ryu
Altura: 175 cm
Peso: 85 kg
Tipo sanguíneo: O
Nascimento: 21 de julho
País: Japão
Gosta: Derrotar oponentes fortes
Não gosta: Fracos 
Evil Ryu é o completo oposto do Ryu que todos nós conhecemos e amamos. Ele foi consumido pelo Satsui no Hadou, em troca de poder absoluto. Eu não posso acreditar que o Satsui no Hadou pode mudar alguém assim ... Que terrível!
E agora, com vocês, Violent Ken, o Ken que acordou com o pé esquerdo! :v 



No caso de Violent Ken (também conhecido por 洗脳されたケン - Brainwashed Ken - no Japão), a origem de seu poder difere de Evil Ryu. Enquanto Ryu terminou despertando o Satsui no Hadou, Ken, por algum motivo nunca despertou tal poder. Sim meus queridos, como cansei de falar, "Evil Ken", NO ECZISTE! O que deixou Ken nesse estado não foi o Satsui no Hadou. Os seus poderes, na verdade, vem de M. Bison.

Violent Ken é o Ken que foi capturado por M. Bison e sofreu lavagem cerebral, se tornando uma máquina de matar, consumido pelo Psycho Power de Bison. Assim como ocorreu com Evil Ryu, que surgiu de uma mídia fora dos games, a primeira aparição de Violent Ken ocorreu no anime Street Fighter II: The Animated Movie. Sim aquele desenho com a famosa cena de banho da Chun-Li que deve ter deixado alguns com a mão cheia de calo.

No anime, em dado momento, Bison foi até Ken e lutou contra ele. Ao perder a luta, Bison o sequestrou e fez lavagem cerebral e o colocou para lutar contra Ryu.



Porém, a ideia de um Ken controlado por Bison, veio primeiramente do mangá Street Fighter II de Masaomi Kanzaki. Ali Ken, com o auxílio da droga Doll, que faz uma lavagem cerebral em seu usuário, termina servindo a Bison como um de seus soldados de confiança.



A primeira vez que Violent Ken participou de um jogo foi em SNK vs Capcom: SVC Chaos. No jogo, apesar da confusão que alguns fazem (graças a uma informação errônea tirada sabe se lá da onde do The Fighters Generation), dizendo que é o Ken com o poder de Orochi, Violent Ken continua com o mesmo background apresentado no anime: é o Ken consumido pelo Psycho Power de Bison.


Sim, em japonês está escrito algo como "Ken com lavagem cerebral"
Curiosamente, na série Street Fighter IV, existiria um easter egg com o personagem, em um dos trajes extras de Ken:



Excetuando SNK vs Capcom: SVC Chaos, Violent Ken não tinha feito mais nenhuma participação nos jogos, sendo restrito apenas a esse jogo e algumas mídias, como o manhua de SNK vs Capcom: SVC Chaos e os quadrinhos da UDON. Ultra Street Fighter II: The Final Challengers é o primeiro jogo da franquia Street Fighter (e encaixado no universo principal da série) que ele participa.

Recentemente, o CFN Portal canonizou Violent Ken, mas deixando claro que o personagem existe em um universo alternativo, fora da série principal (como bem expliquei neste artigo). Abaixo, vocês podem conferir a ficha do personagem, diretamente do site.


Por alguma razão, o Satsui no Hadou não despertou dentro de Ken, mas usando o Psycho Power de Bison, Ken se tornou um soldado da Shadaloo (em um universo paralelo, é claro). 

Nome: Ken
Altura: 175 cm
Peso: 83 kg
Tipo sanguíneo: B
Nascimento: 14 de fevereiro
País: Estados Unidos
Gosta: Cheiro de sangue, lutar
Não gosta: Tédio 
Ken fica com inveja pelo fato de Ryu se aproximar cada vez mais de se tornar um verdadeiro artista marcial. Mas o coração de Ken é fraco, e termina sendo consumido por essa inveja. O Psycho Power de Bison ressoa com medo e sofrimento, e termina controlando facilmente as pessoas que são vítimas de suas próprias emoções. A chama de Ken fica roxa, devido ao poder psíquico, e seus golpes se tornam cheios de ódio. No entanto, quando Ken vê a faixa vermelha de Ryu, ele temporariamente ganha controle de si mesmo, porque se lembra de todas as memórias que compartilhou com seu eterno rival. (Sim, isso ainda está em um universo paralelo)

Bem, eu espero ter conseguido esclarecer alguma dúvida sobre eles.  E lembrando que o Ultra Street Fighter II é apenas a ponta do iceberg para as comemorações dos 30 anos de SF!!!!! =)



Antes de ir, deixo com vocês os trailers de USF II, o americano e o japonês (sim há uma sutil diferença). 





See ya!!!!! ^^

31 dezembro 2016

Feliz Ano Novo!

Passando rápido aqui para desejar um bom 2017 a todos!!! =)

Esse ano que passou não foi fácil, e espero que esse próximo ano seja melhor. 

Então fiquem agora com esse desenho que fiz do Ken com a sua skin de Happy Holidays! Até o ano que vem! xD

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...